Empresário fatura R$ 8 milhões em um ano com conserto de celular

Felipe Marchese, idealizador da Conserta Smart (Foto: Divulgação)

 

Felipe Marchese, de 32 anos, Sempre gostou de tecnologia: quando era criança, adorava “fuçar e consertar” em computadores. Cresceu e teve a oportunidade de trabalhar por 10 anos na área comercial de telecomunicações e, durante esse período, ouviu muitos relatos de usuários que tinham dificuldade com assistência técnica. “O prazo para o conserto era muito grande e era caro. Os valores, às vezes, não compensavam o conserto”, conta Marchese.

Por diversão, o adminstrador – que também tem formação em processamento de dados – consertava computadores e celulares dos amigos. Em 2013, ele viu que o hobbie era, na verdade, uma oportunidade de negócio. Então, ele decidiu que era hora de tentar mudar o mercado de assistência técnica com um novo tipo de empresa.

Com um investimento inicial de R$ 30 mil, Marchese abriu a primeira loja Conserta Smart, em Campinas, cidade onde vivia. “A loja tinha menos de 50 m² e apenas um funcionário”, conta ele sobre o começo.

De acordo com o fundador da Conserta Smart, o diferencial da loja era o conserto rápido, com preço mais acessível. Os clientes tinham o smartphone arrumado no mesmo dia. Com a demanda, a empresa evoluiu e diminuiu o tempo de conserto para até uma hora.

Marchese conta que a demanda aumentou tanto que, em pouco mais de um ano, ele decidiu expandir. No começo de 2015, a segunda unidade foi aberta, em Jundiaí, no modelo de franquia.

“O tempo e qualidade de atendimento que eu prestava, eu conseguia por ser proprietário. Se nós abríssemos muitas unidades sem ter um proprietário, iríamos perder a qualidade”, diz o empreendedor sobre a escolha pelo modelo de franquia, já na segunda loja. Em Jundiaí, a unidade absorvia os clientes das cidades vizinhas que eles atendiam.

Quando a empresa ganha um novo franqueado, ela auxilia em diversos pontos. Um deles é o treinamento de funcionários na central de Campinas, com prova no final e estágio de duas semanas na primeira loja.

Hoje, a Conserta Smart tem 342 unidades espalhadas por todos os estados brasileiros – exceto o Acre. Além do conserto de smartphones e tablets, a empresa vende acessórios para os aparelhos. Cada cliente gasta, em média R$ 250 na loja e, assim, em 2016 a rede faturou R$ 8 milhões.

Para 2017, a expectativa é de alcançar 400 unidades franqueadas e começar o projeto de internacionalização

Fonte: RevistaPEGN

http://revistapegn.globo.com/Banco-de-ideias/Servicos/noticia/2017/07/empresario-fatura-r-8-milhoes-em-um-ano-com-conserto-de-celular.html

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *